Kooruja contribui com campanha sobre paradesporto paraibano

Em prol do fortalecimento do paradesporto paraibano, a Asdef – Associação de Deficientes e Familiares lança nesta sexta-feira a campanha S.O.S Paradesporto – Atletas paraibanos pedem socorro.

A campanha tem como objetivo a arrecadação de recursos para garantir a participação da equipe da instituição na etapa Nacional do Circuito Loterias Caixa 2017, que acontecerá entre 26 a 29 de outubro, no estado de São Paulo. O mais importante evento nacional do esporte adaptado no Brasil.

As contribuições também podem ser feitas através de depósito ou transferência bancária na conta da Asdef.

Caixa Econômica Federal

Conta: 273-3

Operação: 03

Agência: 0548

Toda identidade visual e material impresso da campanha foi elaborado em parceria com a Kooruja Comunicação e Tecnologia e Kooruja Print. Se interessou? Entra em contato com a gente e solicita seu orçamento: contato@kooruja.com.br

Designer mistura dois elementos para criar logos com muita criatividade

A criatividade de um designer é posta à prova praticamente todos os dias, principalmente na capacidade de abstração.

Como, por exemplo, unir dois elementos aparentemente desconexos para criar um ícone ou um logo que faça sentido?

Foi esse o desafio do designer indiano Shibu PG, que soube usar com maestria suas habilidades para criar criativos logos utilizando como referência dois elementos distintos.

Confira:

 

Fonte: Designerd

Intranet: seu negócio na palma da mão

Já parou para pensar no tempo que se perde tentando resolver pendências dentro de uma organização quando o contato é estritamente pessoal? Reuniões com parceiros, fornecedores, imprevistos e tudo vira rapidamente uma bola de neve, adiando decisões importantes e o fluxo do repasse de informações para a equipe.

Metas não foram estabelecidas para o conhecimento apenas dos mentores de uma organização. Para que os objetivos se concretizem a equipe precisa estar devidamente integrada de todos os passos a serem dados e onde melhorar para concretizá-los.

E é justamente na hora de gerenciar a comunicação que os desencontros acontecem. Por esta razão, inúmeras empresas decidem por usar a INTRANET no seu cotidiano. A intranet é uma ferramenta semelhante a um site, mas é uma rede exclusivamente interna de uma empresa. Com ela, é possível realizar parte do trabalho sem precisar estar no escritório, e o melhor: resolvendo tudo na palma da mão.

Acompanhar pedidos, processos, rotinas de trabalho, relatórios, banco de clientes e etc. com a comodidade de acessar em qualquer lugar por seu notebook, tablet ou smartphone são umas das vantagens ao investir numa intranet, além da total segurança e comodidade.

A intranet também livra sua empresa dos riscos de perdas de documentos em caso de roubo, incêndio ou qualquer situação adversa que comprometa a estrutura física, seus arquivos e processos estarão seguros e poderão ser acessados por outra estação de trabalho. Quer mais um motivo para pensar com carinho na ideia? Com a intranet, as pessoas podem trabalhar em arquivos compartilhados e ter um local central onde armazenam o documento mais recente, poupando aquele precioso espaço no servidor, além de otimizar os resultados.

Ficou curioso? Quer estudar a prosposta para sua empresa? Agende uma visita. Será um prazer atender você! Entre em contato: contato@kooruja.com.br / (83) 9.8812-0894 / 9.9951-1922

Quando um designer decide dar uma nova cara para aquelas mensagens toscas de whatsapp

Muito provavelmente você já recebeu aquelas imagens por WhatsApp desejando bom dia, boa noite, bom fim de semana ou qualquer coisa do gênero.

Apesar da boa intenção de quem manda, precisamos concordar que a esmagadora maioria dessas imagens é bastante mal-feita, com cores estouradas, fontes estranhas, e diagramação de gosto duvidoso. Em outras palavras, bem toscas.

O assistente de arte Spartakus Santiago decidiu dar uma nova cara a essas mensagens em seu divertido projeto Typezap.

Segundo ele, “a ideia é simples: fazer o redesign dessas imagens toscas e enviá-las para nossas mães, tios e familiares que adoram esse conteúdo. Eles vão espalhar a nova versão repaginada nos seus mil grupos de Whatsapp e as pessoas vão passar a receber mensagens bonitas que pela primeira vez realmente são bonitas.”

Confira alguns redesigns já criados na plataforma:

 

Via: Designerd

10 verdades que o design precisa saber sobre o cliente

Não existe cliente bom? Cliente é a pior parte do trabalho? Você precisa conhecer algumas verdades sobre o outro lado da força.

Se você é designer, sabe que não está sozinho na sua função. Pra realizar seus trabalhos você precisa de um público final e, felizmente pra alguns ou infelizmente pra outros, de um cliente.

Mas será que o cliente é este bicho papão tão temido pelos criativos? Ou será que parte do problema também está do outro lado da moeda, ou seja, no próprio designer?

Verdade seja dita, a relação contratado e contratante é praticamente a mesma em qualquer transação comercial. E no campo do Design não é muito diferente. O relacionamento no campo criativo tem suas peculiaridades, mas também depende de bom senso e equilíbrio, como toda relação humana.

Por isso, este artigo vem desmistificar esta visão distorcida sobre o cliente e dar algumas dicas de como o trabalho pode fluir de um jeito muuuito melhor.

E antes que você ache que este post foi escrito por alguém que trabalha no atendimento e tá puxando sardinha pro seu lado, não foi não. Sou designer (pois é!), e por incrível que pareça, não vou defender o cliente, mas ajudar você a se defender e manter uma relação saudável e botar na rua um trabalho ótimo.

Vamos às dicas:

1 – Deixe a preguiça de lado e coloque tudo descrito no orçamento e no contrato

Chegou uma proposta legal de freela pra você e o cliente pediu o orçamento? Segure sua ansiedade em responder e redija um orçamento bem detalhado. Seu cliente precisa saber a forma como você trabalha e o que pode ou não afetar os custos e prazos finais do trabalho. Diga a ele quais são as responsabilidades dele (custos com compras de imagens, envio de conteúdo, prazos de aprovação) e divida o trabalho em etapas, assim você vai evitar surpresas caso o seu cliente não tenha conseguido se expressar muito bem de primeira.

Depois do orçamento aprovado, crie um contrato online com validade.

Créditos: Greg Gunn

Créditos: Greg Gunn

2 – Estabeleça limites

Deixe claro que cada etapa de trabalho tem um limite de alterações, e todas elas dentro do escopo. Alterações que extrapolem este limite podem sim ter um custo adicional (afinal você calculou suas horas de trabalho) a combinar. E “alterações” que na verdade são refações de um projeto todo, com mudança de briefing, merecem ser consideradas um novo projeto. Mas sempre deixe isso MUITO CLARO no seu orçamento e na sua conversa com o cliente.

Você não vai querer um cliente chateado com um profissional que não deixou claro como funcionava o sistema de trabalho criativo. Nem todo mundo está habituado com isso.

E isso também evita clientes que vêm com más intenções desde o princípio.

pantera-cor-de-rosa-alteracao

3 – Seu cliente está do seu lado. Ele não é seu inimigo.

A partir do momento que o cliente encomenda algum serviço de Design ele está dizendo o seguinte:

“Por favor, me ajude a encontrar uma solução”.

Ou seja, seu cliente conhece os problemas e as dificuldades que está enfrentando. E sim, ele provavelmente conhece o público dele melhor do que você. E você é responsável por pegar essas informações e brilhar na criação de soluções visuais e projetuais.

Seu cliente pode até parecer meio quadradão, mas acredite, suas informações são valiosas. Não as ignore.

4 – Fale com o cliente como um bom médico falaria com você

Você está com um incômodo nos pés, uma coisinha feia na pele. Vai no médico e recebe a seguinte notícia: você está com uma dermatofitose do tipo Tinea Pedis. 

Você arregala os olhos e pergunta pro doutor se é grave e quanto tempo tem de vida, até descobrir que se tratava de uma simples frieira.

- Me dói o pescoço. - Busca um doutor. - Melhor um exorcista.

– Me dói o pescoço.
– Busca um doutor.
– Melhor um exorcista.

Ninguém gosta de “tecniquês”. O uso excessivo de termos técnicos fora do seu habitat natural assusta em vez de impressionar. Tente explicar pro seu cliente as nomenclaturas do Design e não espere que ele já tenha este conhecimento de antemão.

Quer um exemplo? Em vez de escrever no orçamento que uma das etapas do seu trabalho é a criação de um moodboard, descreva o que é um moodboard, para que ele entenda a importância disso em vez de somente ler e aceitar.

5 – Seu cliente precisa entender o valor do seu trabalho

Sabe o que vai acontecer quando você for claro com seu cliente? Ele vai entender o valor do seu trabalho e vai reconhecer que o orçamento que ele aprovou realmente valeu à pena. E vai lembrar de você nos próximos projetos.

Isso não quer dizer que o mundo da relação entre cliente e designer vai virar o mundo colorido das aprovações de primeira, mas vai fazer com que, após o projeto aprovado e publicado, todo mundo saia satisfeito, de ambos os lados. Ah, e o público final também, de preferência.

unicorn-rainbown

Créditos: Greg Gunn

6 – Nem todo cliente vale à pena

Defenda-se dos falsos clientes. Se o projeto parecer furada desde a proposta, pule fora. Aquela concorrência do tipo “faça antes que eu pago depois” pareceu estranha? Rejeite. O cliente disse que o outro designer cobrava menos da metade do valor? Explique o porquê do seu preço e diga que fica pra uma próxima.

Você, assim como todo profissional, deve defender o seu trabalho e reconhecer sua qualidade. Faça valer os seus anos de experiência, a sua faculdade, a sua criatividade e técnica. Fuja das armadilhas.

gato-lobo-gif

Créditos: Greg Gunn

7 – Seja justo

Nem só de clientes chorões é feito o mercado. Designers que cobram valores bem irregulares sem um critério de precificação (valor-hora, valor por projeto, tamanho do cliente, qualidade dos seus projetos) também tem aos montes. Claro que existe uma variação na hora de dar valores aos jobs, mas acredite, ela não é aleatória.

O ruim de criar um preço aleatório é que, oras você pode se dar bem e oras você pode se dar mal, saindo no prejuízo. E, por outro lado, ao cobrar demais, você pode perder a oportunidade de ter um cliente legal pagando bem, justamente por ter cobrando um valor tão acima do mercado que você foi descartado.

Se quiser uma ajudinha para entender onde você se encaixa no mercado, pode dar uma olhada na Tabela ADEGRAF. Lembrando que esta tabela não é reguladora de preço algum. Mas pode dar um norte a quem tá perdido.

money

Créditos: Greg Gunn

8 – Não reclame do passado. Aperfeiçoe o futuro.

Este tópico não é nome de livro de auto-ajuda. Mas é um conselho a respeito dos problemas que você já teve com clientes no passado. Em vez de chorar, observe qual foi o ponto problema e se proteja nas próximas vezes.

Foi o excesso de alterações? Coloque um limite de alterações no seu orçamento. Foi um calote? Divida o pagamento em 50/50, com metade do pagamento para começar o trabalho e metade para entregar o projeto final. Foi cliente metido a designer? Defenda suas criações explicando os porquês de tudo (ok, é chato pra caramba ficar defendendo o porque da fonte ser light ou o papel ser branco), mas ajuda seu cliente a entender que você não é manobrista de pixel.

Simplesmente observe os problemas e os transforme em soluções. Você já faz isso mesmo como designer… ?

9 – Você também é o cliente de alguém

Só lembrar disso já faz a gente repensar algumas atitudes.

client-gif

Créditos: Greg Gunn

10 -Faça sempre seu melhor

Quer fazer um bom cliente voltar? Trabalhe bem. Simples assim.

Mas trabalhar bem não é só criar um projeto lindão. É pensar nos detalhes, como organizar os arquivos, cumprir prazos, conversar com o cliente, obter um feedback do projeto (perguntar se o resultado foi legal com o público).

Todo mundo quer ser bem atendido. E no caso de freelas, você é o seu próprio atendimento.

genius

Créditos: Greg Gunn

Fonte: Cutedrop

22 logotipos fantásticos utilizando apenas a primeira letra do nome

Vez ou outra sempre surge uma opção de criar um logotipo voltado para as iniciais do nome da empresa e para sair do comum ou obvio, é sempre bom ter algumas inspirações guardadas.

Então para lhe ajudar nesse momento, separamos abaixo algumas opções super criativas para lhe inspirar na hora de criar projetos do tipo.

Separamos opções de logotipo voltados para cada uma das letras do alfabeto, com diversos caminhos de criatividade e formas para você.

 

Via Bons tutoriais

 

Design responsivo: O que é e por que usar

Ter um design responsivo no seu site já não é mais uma questão de escolha, mas sim de necessidade.

Ele garante que seu site será carregado sem nenhum problema em qualquer dispositivo, seja ele um tablet, smartphone ou televisão.

As pessoas estão cada vez com menos paciência para acessar páginas que carregam lentamente, letrinhas miúdas e imagens ou tabelas que não conseguimos visualizar direito.

Isso é ainda mais forte em dispositivos mobile, e esses problemas geralmente são consequência de um design que não foi pensado para mobile.

É preciso levar em consideração que, além do tamanho e resolução da tela, cada dispositivo tem uma capacidade de processamento diferente, e mesmo os mais modernos, costumam ter diversas aplicações rodando ao mesmo tempo.

Tudo isso tem que ser pensado para que não interfira no funcionamento ideal da sua página.

Uma boa experiência mobile exige uma forma diferente de pensar, voltada para as necessidades de quem está usando esses dispositivos.

Ou seja, uma simples réplica do seu site não é suficiente, é preciso uma adaptação do que será mostrado e como.

E para que você conheça um pouco mais sobre a importância do design responsivo montamos esse infográfico bem objetivo, e claro, responsivo.

Parece interessante? Então baixe o infográfico completo em alta resolução aqui ou veja a imagem abaixo para entender mais sobre a importância do design responsivo.

Infografico-Design-Responsivo-2

» Clique Aqui para baixar uma versão em Alta Resolução desse infográfico «

Via: Viver de Blog

As mensagens por trás de 7 logos famosos

Um logotipo pode dizer muito a respeito da marca que representa. Suas cores, formas e disposição dos elementos podem trazer mensagens a respeito da origem ou dos valores da empresa.

Nesse artigo, selecionamos 7 logos famosos e pesquisamos a mensagem por trás deles. Confira:

Domino’s

Tom Monaghan, criador da rede de pizzarias, cresceu em um orfanato. Com U$ 900 iniciou seu negócio em 1960, comprando sua primeira unidade, chamada DomiNick’s. Depois de 5 anos já estava comprando mais 2 estabelecimentos, mas foi aí que o antigo dono da pizzaria não permitiu que ele continuasse a usar o nome. Foi então que surgiu o nome Domino’s, a partir de uma sugestão de um dos seus entregadores.

A curiosidade do logo deles é que cada um dos pontos representam as 3 primeiras unidades da rede. Dizem também que a ideia inicial de Tom Monaghan era incluir um ponto para cada nova unidade, mas aí o logo já estaria com aproximadamente 12 mil pontos… Não seria muito clean.

Amazon

Um das maiores empresas do mundo teve seu carro chefe no e-commerce por muito tempo. E comprar pela internet tem como uma das características a facilidade de comprar e receber o produto sem sair de casa. Quem não gosta de facilidades?

Por isso, uma das mensagens no logo da Amazon é o sorriso criado pela seta laranja, demonstrando a satisfação de fazer uma compra na tela.

Outra conhecida característica da marca é que essa mesma seta indica que eles vendem de tudo… De A até Z.

Toyota

A empresa que hoje responsável por uma das maiores frotas de carros em produção tem algumas características interessantes em seu logo que é o mesmo desde 1990.

Ao olhar para o símbolo, podemos ver 3 elipses com traços de grossuras diferentes (imitando os traço dos pincéis japoneses). Segundo a empresa, o significado das duas elipses internas é de que uma representa os clientes, suas vontades, necessidade e etc; e a outra representa os produtos da empresa. E a elipse por trás representa o avanço tecnológico trazido pela Toyota.

Além dos valores que a empresa consegue passar com as formas apresentadas, eles fizeram um incrível trabalho representando todas as letras do nome TOYOTA como no GIF abaixo:

Comentário pessoal: Eu já cheguei a pensar que era algo como uma cabeça de touro vista de frente.

 

NBC

Que existe um pavão no meio não é novidade para ninguém. É só olhar o espaço negativo no centro do logo, para quem nunca tinha visto antes.

Mas qual o motivo de ser um pavão? Seria o orgulho pela marca?

A história vem desde 1956, quando a primeira versão do logo foi criada por John J. Graham. Ele escolheu o pavão com a intenção de mostrar várias cores, já que na época a televisão a cores era ainda uma novidade.

 

BMW

Um pouco de história dessa grande e desejada marca de carros: Antes de ser BMW, parte majoritária da empresa já existia com outro nome, a empresa se chamava Rapp Motors. Até então, a Bayerische Motoren Werke não tinha um símbolo criado, apesar de já existir. Com a junção da Rapp Motors na empresa, o logo da BMW foi criado.

Segundo o historiador Kai Jacobsen, diferente do que muitos pensam, o símbolo não representa uma hélice de avião em movimento, mas sim uma homenagem ao antigo logo da Rapp Motors. E as cores azul e branco não representam o céu, mas sim as cores da Baviera, estado alemão que originou a marca.

Tesla

Além de um óbvio T do nome Tesla, o que mais você enxerga na marca desses incríveis carros elétricos?

Primeiramente sobre o nome da empresa de Elon Musk: Tesla é uma homenagem ao grande inventor Nikola Tesla que atuou principalmente nos campos da engenharia mecânica e eletrotécnica no fim do século XIX e início do XX. Ele foi um dos principais responsáveis pelos sistemas elétricos que conhecemos hoje, base mesmo dos carros da própria fabricante que leva o nome dele.

Segundo Musk, o símbolo não é apenas um T, mas também representa a seção transversal de um motor elétrico. A parte inferior da letra representa um dos pólos que fica fora do rotor do motor e a linha superior representa uma seção do estator.

Apesar de que ficaria muito feliz se ganhasse um carro elétrico, não entendo bem como funciona, por isso, caso essa última informação não esteja totalmente correta, especialistas e mais entendidos no assunto podem comentar abaixo.

DC Comics

A versão atual foi alterada em 2016, substituindo aquele D sobrepondo o C como em uma mudança de página. Essa alteração deu muito o que falar e não ajudou com o fato de diversas de suas estreias no cinema também não terem agradado muito.

Mas o crédito aqui não vai apenas ao fato de ter usado um design clean, mas sim o significado por trás do símbolo. Jim Lee disse que a tipografia utilizada é baseada em um tipo de híbrido do S do símbolo do Super Homem, o WW da Mulher Maravilha e o símbolo do Batman.

Mas e vocês? O que acharam?

Via: Designerd